Que as trevas sejam removidas do que foram removidos das trevas

mar 23, 2014Pastores, Vlademir Hernandes0 Comentários

Um amigo recentemente compartilhou comigo uma desagradável experiência que teve na sua juventude. Em uma conversa informal com seu chefe, ao contar-lhe que era “crente”, ouviu o seguinte comentário: “Mas pelo que vejo, você não é muito fanático não, né?”. Que bofetada! A inadequação do seu testemunho cristão causou-lhe muita vergonha e uma profunda tristeza.

O Senhor que nos removeu das trevas (Cl 1:13), quer remover as trevas de nós para que vivamos por modo digno dEle, agradando-O em tudo e frutificando em toda a boa obra (Cl 1:10), dando assim um bom testemunho cristão. Consideremos atentamente o que Sua Palavra nos diz:
“Brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus” (Mt 5:16).
“Deixemos de lado as obras das trevas e vistamo-nos com a armadura da luz.” (Rm 13:12).
“Outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz” (Ef 5:8).
“Não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as.” (Ef 5:11).
“Vós todos sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite, nem das trevas.” (1Ts 5:5)
“Se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade.” (1Jo 1:6).

Todos sabemos que a remoção das condutas das trevas que promove um bom testemunho, muitas vezes implica em um preço a pagar, uma perda a sofrer, um sacrifício a fazer. Mas para quem quer glorificar a Deus, o que aparenta ser perda é na realidade um ganho precioso. E há uma infinidade de ganhos que precisam ser obtidos mediante a remoção das trevas dos nossos desafios cotidianos.

Não sucumbir às trevas implica em, por exemplo, retratar a verdade na declaração do imposto de renda, abolindo as ilicitudes que a maioria pratica, mesmo que isso implique em pagar um imposto adicional a um Estado ineficiente e abarrotado de gente corrupta.

Jovens crentes se recusam a andar em trevas quando fazem grandes sacrifícios para conter os impulsos naturais, resistir às fortes pressões sociais e suportar zombarias ao zelarem por relacionamentos de namoro castos e puros.

Recentemente um irmão em Cristo daqui da igreja perdeu seu emprego pois não sucumbiu às pressões dos seus superiores para fazer algo ilícito. Que fabuloso exemplo de quem abomina as obras das trevas, mesmo com implicações pessoais tão dramáticas!

Não damos chances às trevas quando mantemos um linguajar santo, que não fala mal de quem quer que seja, por mais motivos verdadeiros que haja, pois nos negamos a
compactuar das tenebrosas “rodas dos escarnecedores”.

Se somos injuriados e bendizemos, se somos perseguidos e suportamos, se somos caluniados e respondemos amavelmente (1Co 4:12) é por que todos os vestígios de trevas foram dissipados da nossa vida pelo poder e para glória de Deus.

A experiência do meu amigo, embora muito dolorosa, lhe foi muito útil, pois estimulou-o a zelar continuamente por um comportamento luminoso, destituído de trevas – alvo visivelmente prioritário na sua vida desde então. Meu desejo e oração é para que a experiência do meu amigo se replique em cada um de nós. Se eventualmente percebermos em alguma área da nossa vida que nós não estamos sendo muito “fanáticos”, que a bofetada nos seja muito dolorida, que a vergonha seja muito incômoda, e que uma profunda tristeza nos impulsione à remoção diligente das trevas para que nossa luz volte a glorificar o Senhor.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquivos

Autor

Comentários

Imediatismo

Como os dias são corridos e acelerados. Essa é uma observação quase que comum em nossos dias. Mas será que as 24hs do dia estão passando mais rápido do que antigamente? Não é essa a questão, mas vivemos na “cultura do imediatismo”, expressão cunhada por Douglas...

|maio 26, 2024

Futilidade ou bênção?

Como estão seus planos e projetos? Quão necessário é reconhecer que é inútil preparar um projeto ou buscar mantê-lo a não ser que o Senhor abençoe esse nosso trabalho e esforço. Nos primeiros dois versos do Salmo 127, o salmista considera a futilidade do trabalho...

|maio 19, 2024

Processo de sucessão

Como todos devem saber, estamos no processo de definir o futuro Pastor Líder da Fonte, que assume esta posição em Julho de 2030. Temos documentado processo, perfil, decisões, cronologia e todo o material está no link igrejafonte.org.br/sucessao/ Depois de definido...

|maio 12, 2024

Útil para o ministério

No último parágrafo do último capítulo do último livro do apóstolo Paulo, Timóteo é exortado e aconselhado sobre 4 tipos de pessoas que são encontradas no serviço ao Senhor. O primeiro está em 2 Timóteo 4:9 e é representado por Demas. Ele fora um cooperador do...

|maio 5, 2024

Esperança na Profundeza

Os dois primeiros capítulos do livro do profeta Jonas mostram como a sua vida se afundou cada vez mais, na medida em que desejava fugir do Senhor. É certo que a tentativa de fuga de Deus é vã, pois até mesmo no mais profundo do abismo, Deus lá estará (Sl 139.8)....

|abr 28, 2024

O Libertador Prometido

Ao considerarmos o Pentateuco, frequentemente observa-se certo desânimo diante das diversas leis e genealogias, desviando alguns de ênfases teológicas cruciais presentes no texto. Entre elas, destaca-se a figura do Libertador, prenunciado como aquele que surgiria...

|abr 21, 2024

Perdão Medicinal

"Porque, se perdoarem aos outros as ofensas deles, também o Pai de vocês, que está no céu, perdoará vocês; se, porém, não perdoarem aos outros as ofensas deles, também o Pai de vocês não perdoará as ofensas de vocês." Mt 6:14-15. Esta declaração do Senhor é tão...

|abr 14, 2024

A Bíblia fala sempre

Passam os séculos e a nossa fé continua a ser constantemente atacada. Isto não é novidade para aqueles que conhecem a Bíblia desde Gênesis. Seria comum atribuirmos estes ataques a pessoas avessas às nossas crenças; entretanto, o problema maior é quando Satanás usa...

|abr 7, 2024

“Terrível e Maravilhoso”

A morte e ressurreição de Jesus Cristo nos conduzem a uma narrativa que aponta para um paradoxo, onde o terrível horror da traição, condenação e morte de Cristo se entrelaça com as maravilhosas manifestações do poder e da graça divina. Uma história marcada por...

|mar 31, 2024